sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

02 Meses - Aulas de Dança de Salão com 50% de desconto



OFF - Escola Mércia Conceição: R$ 200 por R$ 100 por casal

Destaque
Aulas com no máximo 4 casais;
Curso com 2 horas semanais;
Aulas iniciam dia 03 de janeiro de 2011;
Benefícios da Dança de Salão:

Cuida da saúde.
Trata a ansiedade, o estresse e a depressão.
Rejuvenesce
Emagrece.
Melhora a auto-estima.
Regula o colesterol.
Melhora a postura.
Dá boa flexibilidade.
Aumenta o círculo de amizade.
Melhora as nossas qualidades físicas e mentais.

Escola de Dança Mércia Conceição

Com 13 anos de experiência com a Dança de Salão em Sergipe Escola de Dança Mércia Conceição oferece uma grande diversidade de cursos e serviços, tais como:
Aulas de:

BOLERO, TANGO
VALSA, SALSA
MERENGUE, LAMBADA ZOUK
SAMBA, FORRÓ
ARROXA, BACHATA
STREET DANCE, FUNK
FREVO, SWING BAIANO
Atividades físicas:

EXPRESSÃO CORPORAL
MASSAGEM RELAXANTE
MASSAGEM ATIVANTE
PILATES COM BOLA
GINÁSTICA AERÓBIA COM BOLA
GINÁSTICA LOCALIZADA
Outros serviços:

AULAS EM GRUPO OU PARTICULARES
COREOGRAFIAS PARA FESTAS
PALESTRAS E REUNIÕES EXECUTIVAS
Onde fica
Av. Gentil Tavares, 896
ao lado do IFS (antigo CEFET)
Getúlio Vargas - Aracaju
(79) 3211-4316
http://dancadesalaomerciaconceicao.webnode.com.br

ADQUIRA A AGENDA DO MOVIMENTO DE ADOLESCENTES E CRIANÇAS


CLIQUE EM CIMA PARA AMPLIAR A IMAGEM.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Verão Sergipe 2011 só na Caueira


A edição 2011 do Verão Sergipe não ocorrerá em etapas. No próximo ano apenas a Praia da Caueira, em Itaporanga d’Ajuda, receberá o evento. Será nos dias 4 e 5 de fevereiro. Por conta das dificuldades financeiras que o Estado enfrenta e pela obra de implantação da Orla na Praia da Atalaia Nova, a programação de 2011 não ocorrerá em vários municipios, como nos anos anteriores.

Leia mais em:

http://valterlima.blogspot.com/2010/12/verao-sergipe-2011-so-na-caueira.html

domingo, 26 de dezembro de 2010

ENCONTRO XXXVI CULTURAL DE LARANJEIRAS


SIMPÓSIO 2011 PATRIMÔNIO IMATERIAL E A ERA DIGITAL
APRESENTAÇÃO
O acesso equitativo a uma rica e diversificada gama de expressões culturais provenientes de todo o mundo e o acesso das culturas aos meios de expressão e de difusão constituem importantes elementos para a valorização da diversidade cultural e o incentivo ao entendimento mútuo.
(Princípio 7 da Convenção da Unesco sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais)
Com as novas tecnologias cada vez mais acessíveis e populares, o domínio e o acesso a técnicas e meios de registro e documentação não estão apenas ao alcance de grupos privilegiados. A difusão e a fruição são cada vez mais democráticas e colaborativas.
Na chamada Sociedade do Conhecimento, palavras chave como acesso e compartilhamento ganham papel preponderante na garantia da promoção de uma maior variedade de expressões culturais. A popularização das novas ferramentas da comunicação e da informação abre caminhos para a distribuição e a apropriação de bens simbólicos, materializando novas situações de fruição e compartilhamento de conteúdos e expressões culturais.
Nesse novo contexto, indivíduos e comunidades podem ampliar as formas e possibilidades de produção, difusão e consumo de informação e bens culturais. Novas tecnologias, novos meios e novas redes digitais dinamizam relações sociais e permitem um maior intercâmbio de informações, favorecendo a oxigenação e as dinâmicas intrínsecas dos processos culturais.
Como tornar os meios e ferramentas do mundo digital aliados na luta pela proteção, promoção e salvaguarda do patrimônio imaterial e das tradições? É possível utilizar a tecnologia e a inovação como instrumentos, de educação patrimonial e de fortalecimento da diversidade, das culturas populares?
São estas as questões que desejamos trazer para debate no simpósio que dá início ao XXXVI Encontro Cultural de Laranjeiras, voltado para estudantes, pesquisadores, professores, brincantes, gestores e artistas. A meta é o diálogo entre a tradição e a inovação, em busca da transversalidade, do pluralismo, da interculturalidade.
SIMPÓSIO PATRIMÔNIO IMATERIAL E A ERA DIGITAL
Auditório do Campus das Artes - UFS
DIA 06 – QUINTA FEIRA
08:30 - Inscrições / Café de boas vindas
08:30 – Acolhimento: Saudação dos Mestres da Chegança de Sergipe
09:00 – Abertura oficial
09:30 – Conferência de abertura
Patrimônio Imaterial na Era Digital
PROF. Dr. CLÉRTON MARTINS (UNIFOR-CE / Comissão Cearense de Folclore)
11:00 – Debate
Mediação: Prof. Dr. Gilson Rambelli (Vice-diretor Campus
UFS - Laranjeiras)
ALMOÇO (LIVRE) 14:00 – Painel 1: Cultura, Tecnologia & Convergência
Participantes:
AMÉRICO CÓRDULA (Secretaria da Identidade e da Diversidade/MinC)
Indira Amaral (Fundação Aperipê)
Profª. Drª. Janaína Melo (Museologia / Campus UFS Laranjeiras)
Coordenação: Prof. Dr. Saulo Barreto (Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação - IPTI) 15:30 – Debate
16:30 – Encerramento: Banda de Pífano Esquenta Muié
DIA 07 SEXTA-FEIRA
08:30 – Acolhimento: Cantadeira de Romance Dona Bernadete
09:30 – Painel: “Mídias Digitais na educação patrimonial”
Participantes: Adauto Soares (UNESCO)
Joyce Peixoto (Instituto Recriando/Projeto Mídia Jovem)
Zulu Araújo (Fundação Palmares/MinC)
Profa. Dra. Carla Rimkus (UFS)
Coordenação: Profa. Aglaé Fontes
11:00 – Debate
12:00 – 14h Almoço
14:00 – Acolhimento:
Nadir da Mussuca e Mestre Deca do Cacumbi
Mesa Redonda: Jovens Mestres do Patrimônio Imaterial
Participantes: João Paulo Marôpo (Fundação Casa Grande, Nova Olinda, CE) Bárbara Cristina dos Santos (Taieiras - Laranjeiras) Arycleiton Rodrigues da Silva (Maracatu Estrela Brilhante de Igarassu, PE)
15:30 – Debate
16:30 – Encerramento: Passagem dos Terreiros para Lavagem do Bonfim
DIA 08 – SABADO
09:00 – 12h
APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE PESQUISA
Simpósio

PROGRAMAÇÃO ARTISTICA
PALCO DONA LALINHA
(Largo do Quaresma)


DIA 06 - QUINTA-FEIRA
20:00 – Show com os Meninos da Comandaroba
21:00 – Laranjeiras Festival
22:30 – Show com a Banda OganJah


DIA 07 – SEXTA-FEIRA
16:30 – Grupo São Gonçalo Mirim – Laranjeiras/SE
17:00 – Grupo Cangaceiro – Lagarto/SE
17:30 – Grupo Batucada Pisa Polvora – Estância/SE
18:00 – Grupo Batalhão de São João – Lagarto/SE
18:30 – Grupo Xaxado Cabras de corisco no rastro de Lampião – Propriá/SE
19:00 – Vem Vem do Nordeste e João Bezerra
20:00 – Abertura Oficial do XXXVI Encontro Cultural de Laranjeiras
20:15 – Bacamarteiros de Aguada- Carmopolis/SE
20:30 – Grupo Taieira de Laranjeiras/SE
20:45 – Grupo São Gonçalo da Mussuca – Laranjeiras/SE
21:00 – Grupo Parafusos - Lagarto/SE
21:20 – Mestre Severino – Natal/RN
21:50 – Show Nauréa
23:30 – Show Casaca de Couro

DIA 08 – SABADO
16:00 – Reisado Bejamim – Laranjeiras/SE
16:15 – Cacumbi Mirim – Laranjeiras/SE
16:30 – Samba de Pareia Mirim – Laranjeiras/SE
16:45 – Pastoril de Brejo Grande – Brejo Grande/SE
17:00 – Samba de Pareia – Laranjeiras/SE
17:30 – Cacumbi Mestre Deca – Laranjeiras/SE
18:00 – Samba de Coco – Laranjeiras/SE
18:30 – Axé Zumbi – Maceió/AL
19:00 – Grupo GODAP Grupo Olimpiense de Dança Parafolclorica - Olimpia/SP
19:30 – Grupo Batalhão 1° de São João – Laranjeiras/SE
20:00 – Tenente Lucena – João Pessoa/PB
20:30 – Uauiara – Belém/PA
21:00 - Maracatu Estrela Brilhante – Pernambuco
21:30 – Show Patricia Polayne
23:00 – Show Sergival
01:00 – The Baggios


DIA 09 - DOMINGO
16:00 – Violeiros
18:00 – Show Pe. João Carlos (Rede Vida)
20:30 – Grupo Uauiara Para
21:00 - Grupo Jacoca - Paraiba
21:30 – Grupo Maracatu Estrela Brilhante - Pernambuco
22:00 – Axe Zumbi - Alagoas
22:30 – Tenete Lucena - Paraiba
23:00 – Show Sisal Roots
TABLADO CULTURAL SEU OSCAR (Dança)
(Praça da Matriz)


DIA 06 - QUINTA-FEIRA
16:00 - Grupo Aruana – Dança Afro-Cultural – Laranjeiras-SE
16:30 - Ed só Dance – Laranjeiras-SE
17:00 – Vital Dança – Laranjeiras-SE
17:30 – Cangaceiros do Sertão – Laranjeiras-SE
18:00 – Raizes de um Povo - Laranjeiras-SE
18:30 – Banda de Pifano Esquenta Muié – Laranjeiras/SE


DIA 07 – SEXTA-FEIRA
10:00 – Lariô da Tartaruga – Pirambu/SE
10:20 – Reisado da Paz – São Cristovão
10:40 – Samba de Coco Nova Geração – Itaporanga/SE
11:00 - Novos Lampiões – Propriá/SE
11:20 – Guerreiro Treme Terra - Malhada dos Bois/SE
11:40 – Caceteira José Gonçalo – São Cristovão/SE
14:00 – Samba de Coco União – São Cristovão/SE
14:20 – Reisado de Dona Nenem – Itaporanga/SE
14:40 – Raizes da Terra- Lagarto/SE
15:00 – Samba de Pareia Mirim – Laranjeiras/SE
15:20 – Reisado Bom Jesus do Navegante – Laranjeiras/SE
15:40 – Samba de Roda – Moita Bonita/SE
16:00 - Zion – Gospel dance – Laranjeiras/SE
16:30 - Gente da Terra – Laranjeiras/SE
17:00 - Mistura Brasileira – Laranjeiras/SE
17:30 - Fruto da Laranja – Laranjeiras/SE
18:00 - Nelson Santos – São Cristovão/SE
18:30 – Gleidson de Jesus Santos Dança Africana Fusinada – Aracaju/SE
20:00 – Show Wadson Voz e Violão – Laranjeiras/SE
DIA 08 – SABADO
10:00 – Ilariô – Pirambu/SE
10:20 – Guerreiro Treme Terra de Jaboatã/SE
10:40 – Reisado das Filhas de Maria – Itaporanga/SE
11:00 – Samba de Coco São Benedito – Santo Amaro/SE
11:20 – Reisado 12 Estrelinhas – Rosário do Catete/SE
11:40 – Guerreiro do Siririzinho – Rosário do Catete/SE
14:00 – Pastoril Belas Pastoras – Brejo Grande/SE
14:20 – Reisado São Benedito – Laranjeiras/SE
14:40 – Samba de Coco Pisada Quente – Santo Amaro/SE
15:00 – Reisado Flor do Lirio – Laranjeiras/SE
15:20 – Ciranda de Roda – Lagarto/SE
15:40 – Maracatu do Brejão – Brejo Grande/SE
16:00 – Grupo Dança Sream – Aracaju/SE
16:30 – Grupo de Dança Imounrara – Aracaju/SE
17:00 - Balé Folclorico de Laranjeiras/SE
17:30 - Rick de Carlo Cia Dança – São Cristovão/SE
18:00 - Memorias de Mulungu – Laranjeiras/SE
18:30 – Disfaça e Chora Espaço Liso Dança Cartola – Aracaju/SE
20:00 – Show Douglas Voz e Violão


DIA 09 - DOMINGO
10:00 – Reisado de Sabau – Pirambu/SE
10:20 – Cacumbi de Juarez - Itaporanga/SE
10:40 – Samba de Roda - Simão Dias/SE
11:00 - Pastoril - Propriá/SE
11:20 – Batucada Novo Horizonte/SE
11:40 – Lampião Rei do Cangaço
14:00 – Companhia Mafuá – Aracaju/SE
14:30 – Frutos da Terra – Laranjeiras/SE
15:00 – Dança do Macule – Nª Srª do Socorro/SE
PALCO ZIZINHA GUIMARÃES (TEATRO)


DIA 06 - QUINTA-FEIRA
16:00 – Grupo Menores Unidos - Lampião para Presidente - Laranjeiras-Se
16:30 – Grupo de Teatro Amigos da Cultura Mussuquense –
História da Cultura da Mussuca - Laranjeiras- SE
17:00 – Cia de Theatro em Cena - Era uma vez um abacateiro - Cuiabá - MT
18:00 – Grupo Troteatro de Espetáculos - Nunca é Tarde - Ribeirópolis-SE
19:30 – Cia de Teatro Riso cínico - Olhos de Fogo - Estância – Se
20:00 – Grupo de Teatro a Tua Lona - Os Marginais - Aracaju – Se


DIA 07 – SEXTA-FEIRA
16:00 – Grupo de Teatro Novo Tempo - Mulher Macho - Laranjeiras –SE
16:30 – Cia Theatro em Cena - Fábrica de risos - Cuiabá - MT
17 :00 – Grupo da Universidade Federal de Sergipe – Longe - laranjeiras – SE
18:00 – Grupo Sesc de Teatro - Arlequim , Servidor de Dois Amos - Aracaju – SE


DIA 08 – SABADO
16:00 – Grupo Imbuaça –
O mundo tá virado, tá no vai ou não vai. uma banda pendurada, a outra em breve cai.
Aracaju - SE
17:00 – Grupo Mamulengo do Cheiroso - Brincando Com Cheiroso - Aracaju – SE
18:00 – Cia de Teatro Itapoart’s - As Aventuras de Zé Trambiqueiro - Itaporanga - SE
19:00 – Grupo Êxtase – Solidão - Aracaju - SE
20:00 – Gê Martins Produções Artísticas - Nós...Pício - Cuiabá - MT
21:00 – Cia de Teatro Stultífera Navis – Antígona - Aracaju-SE


DIA 09 - DOMINGO
17:00 - Grupo Raizes - Jogos & Brinquedos Populares - Aracaju-SE
18:00 - Grupo Teatral Oiteiros - Romeu e Julieta – Gararu-SE
19:00 - Cia o Mínimo Sim Salabim - Aracaju-SE
19:30 - Cia Reflexos da Alma - Uma Vez o Amor - Estância-SE


ESPAÇO IGREJA MATRIZ (Musica Instrumental) Igreja Matriz Coração de Jesus


DIA 06 – QUINTA-FEIRA
19:00 – Banda e Coro Santa Barbara – Laranjeiras/SE


DIA 07 - SEXTA-FEIRA
19:00 – Grupo Renantik Musica Medieval e Renascentista – Aracaju/SE


DIA 08 – SABADO
19:00 – Coral Coração de Jesus – Laranjeiras/SE


DIA 09 – DOMINGO
18:00 – Grupo de Flauta e Violão Meninos da Comandaroba – Laranjeiras/SE
19:00 – Coral Os Canarinhos – Aracaju/SE

PALCO ERNESTO LIRA
(Clube Antônio Carlos Franco)


DIA 07 – SABADO
09:00 – Plenitude do Forro
11:00 – Agnaldo e seus teclados
13:00 – Sedução do Arrocha
15:00 – Adilson Laranjeiras
17:00 – Morcegos do Samba
19:00 – Pagode Bacana


DIA 08 – DOMINGO
09:00 – Banda Estrelar
11:00 – D’Havainas
13:00 – Humildes do Arrocha
15:00 – Estilo Massa
17:00 – Swing Bom
19:00 – Rafael Costa


EXPOSIÇÃO
OFICINA ESCOLA DE LARANJEIRAS
.Exposição de Fotografia Lambe-Sujos e Caboclinhos - Zambrana (fotografo)


ANTIGO FORUM LEVINDO CRUZ
. Exposição Moradas – Coletânea com 15 Artistas (Alvaro Vilela, Benedito Letrado,
Ysa Vane Farias, Jr.Beira Mar, Marcio Garcez, Marco Viana, Michel Oliveira, Mônica
Flávia Carvalho e Tanit Bezerra)


CAMPUS DAS ARTES UFS
. Retratos Art in Africa – Guga Viana


SEDE DA FILARMÔNICA SANTA BARBARA
. Entre a Fé e a Febre - Guy Veloso (fotografo)


MUSEU DE ARTE SACRA DE LARANJEIRAS
. As Sete Dores da Co-Redentora do Homem: Nossa Senhora das Dores


MUSEU AFRO DE SERGIPE
. Resistência do cativeiro às ruas: A luta dos escravos em prol da liberdade


OFICINAS
OFICINA ESCOLA DE LARANJEIRAS
. Renda Irlandesa – Gilda - 15 dias
. Costumização - Adenúzia Santos Lima – 3 dias

ANTIGO FORUM LEVINDO CRUZ
. Reciclagem, Artes Ambiental - Ágda Maria de Oliveira Vieira – 9 dias


ANTIGO FORUM LEVINDO CRUZ
. “Sabado da Fotografia” – Francisco Moreira da Costa e Jr Beira Mar (fotógrafos)
Dia 09/01/2011- Das 09h as 12 e das 14h às 17h


ESCOLA JOSÉ MONTEIRO SOBRAL - MUSSUCA
. O imaginário Colorido - Elias Santos - 30 dias


CETA – CASA ROSA
. Oficina de Maquiagem Teatral - Irene de Castro Santos Souza - 05 dias
ESCOLA DE MÚSICA LIVRE SANTA BARBARA
. Oficina de Construção de Pífano – Carlos Valverde - 04 dias
. Oficina de Canto – Álvaro Araújo - 04 dias
. Oficina de violão – Ítalo Wagner - 04 dias
. Oficina de Percussão – Otílio Saminêz - 04 dias


CINEMA
CINECLUBE CÂNDIDO ARAGONÊS DE FARIAS E CINE CIRCUITO LIVR
. Localizado na Escola Estadual Zizinha Guimarães
Sessões:
Dia 06/01/2011- Quinta-feira
Às 10h e 14h


Dia 07/01/2011- Sexta-feira
Às 10h e 14h


Dia 08/01/2011- Sábado
Às 09h e 14h
PALCO JOSÉ SOBRAL
(Praça de Eventos)


DIA 07 - SEXTA-FEIRA
22:00 – Show com Chiko Queiroga e Antônio Rogério
00:00 – Show Jorge Versilo
02:00 – Julinho Porradão


DIA 08 - SABADO
22:00 – Show com Pedro Henrique e Gabriel –
Aracaju/SE
00:00 – Show com Margarethe Menezes – Salvador/BA
02:00 – Show Calcinha Preta


DIA 09 - DOMINGO
22:00 – Show Danielzinho
00:00 – Show Black Stayl
Fonte: http://www.laranjeiras.se.gov.br/ler.asp?id=166&titulo=noticias

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

NATAL É A VONTADE DE TRANSFORMAR ESTE MUNDO EM FESTA, TRABALHO E PÃO.

Zezito de Oliveira


Acima, grupo de alunas (os) na bica de São Cristóvão e o autor desse texto. Em 03 de dezembro, no final da tarde.

Bem que tentei elaborar um texto de natal mais completo, como feito nos anos de 2008 e 2009, o X da questão é o esforço mental para tanto, exigindo mais tempo e concentração, e isso lamentavelmente nos faltou neste novembro/dezembro de 2010.

Mas, não faltará oportunidade de produzir os textos sobre os dois temas ou motes que chegaram até nós, já que pelo fato de serem atemporais, podem ser escritos e divulgados em outras épocas do ano.

Por outro lado, este tema/mote “ainda transformo este mundo em festa, trabalho e pão” me surgiu após a conversa com uma amiga durante a celebração da criatividade musical dos sergipanos (as) por ocasião do aniversário dos 15 anos da rádio FM Aperipê.

E por falar em celebração, desde o meu aniversário (11 de novembro), em uma das turmas da escola onde trabalho e a noite no clube flamengo circulista até os dias da celebração do aniversário do Menino Deus, cujo ponto alto é o 25 de Dezembro aconteceram alguns momentos que merecem gratidão da nossa parte.

Em primeiro lugar, gratidão a Deus e a todos os seres que habitam o universo, tanto visiveis, como invisiveis. Lembro em especial a roda de dança do dia 05 de novembro, em razão de fortes momentos orante, seja dançando o toré do som das vogais do nosso nome ou através dos pedidos verbais de proteção e cura, além das novas danças aprendidas.

Outro momento muito especial, foi a festa de confraternização de final de ano de uma das turmas da escola, bem como a viagem a cidade de São Cristóvão, quando após a visita aos museus, fomos eu e um grupo de 12 alunas (os) concluir o passeio com um banho na bica de São Cristóvão, o que representou uma decisão ousada em função da distancia percorrida a pé e do horário da chegada (quase no final da tarde).


Acima, foto tirado por uma aluna ou aluno (ainda não identificado)após visita ao palácio-museu Olimpio Campos, no centro de Aracaju. A foto é da estátua de Fausto Cardoso, importante lider politico sergipano do inicio do século. Fim de tarde de um dia de novembro de 2010.

Por último, nos dias mais próximos a data do aniversário do Menino Deus, três momentos encheram a minha alma de alegria e de esperança. O primeiro foi o já citado show musical dos 15 anos da FM Aperipê, - Caramba!! Como é bom ver o nivel de qualidade e diversidade a que Sergipe chegou em termos musicais, e também perceber um grupo grande de presentes, jovens em sua maioria.


Foto de divulgação do show de 15 anos da FM Aperipê em 21 de dezembro de 2010.

veja/ouça música da cantora Patricia Polayne AQUI
& AQUI

Veja foto da festa dos 15 anos da FM Aperipê. AQUI

Ainda como parte desta programação pude ter a alegria de conhecer um amigo , cuja admiração reciproca foi cultivada através dos artigos publicados no Overmundo. O nome dele é Alê Barrreto, produtor cultural, natural do Rio Grande do Sul e que mora há cerca de dois anos no Rio de Janeiro.

Nestes dias mais próximo do natal merece registro especial o encontro que reuniu a maior parte dos integrantes que iniciaram o consórcio cultural e que nos cobrou, tanto da nossa parte, como da Irene, um momento orante, como foi realizado no pouco, mas intenso periodo em que estive a frente do Gonzagão, cerca de dois anos e dois meses.

E então, fomos nós com um roteiro celebrativo preparado, como aprendido através da nossa experiência nas Comunidade Eclesiais de Base e na Pastoral da Juventude, com a narração da cena do nascimento de Jesus, velas, incenso, reprodução de uma pintura da sagrada familia, folha de cânticos, (José, na tradução gravada por Rita Lee, Anunciação de Alceu Valença, bem como na versão do Padre Reginaldo Veloso e Oração da Familia).

E como não poderia faltar, a deliciosa comida preparada pelas mulheres e a forma criativa como Irene preparou a brincadeira do amigo secreto. Quem nos visitou foi Renato Russo, através da lembrança espontânea do refrão “Quando tudo está perdido, sempre existe uma luz” de um trecho parcial do restante da letra e da melodia, por parte de Rogério. Outra visita através das perguntas do mesmo Rogério e de outros presentes, foi a dos queridos amigos e amigas da Caravana Internacional Arcoiris por La Paz, força de criatividade e de luz para o consórcio cultural. Também um agente cultural integrante da Renovação Carismática e presença firme no Consórcio Cultural desde o inicio, nos brindou com uma música da sua autoria.

Por último, o encontro celebrativo com um grupo de padres, ex-freira, jovens e casados, cerca de 10 pessoas, que insistem em sonhar e realizar outra igreja diferente, semente de outros mundos diferentes. O sonho que o menino Jesus veio nos recordar e que os artistas, misticos e revolucionários buscam construir. Que sejamos mais artistas, misticos e revolucionário. È assim que ajudamos a transformar este mundo em festa, trabalho e pão, como escreveu o poeta, compositor e comunista José Carlos Capinam.

Mais Viramundo com Gil.

Muito mais pode ser escrito com o tema/mote “Natal é transformar este mundo em festa, trabalho e pão”, porém como já disse...................(ir até o primeiro parágrafo).

+ NATAL
Natal: ver com os olhos do coração

É o que mais nos falta hoje: a capacidade de resgatar a imaginação criadora para projetar melhores mundos e ver com o coração. Se isso existisse, não haveria tanta violência, nem crianças abandonadas nem o sofrimento da Mãe Terra devastada.

Leonardo Boff
Somos obrigados a viver num mundo onde a mercadoria é o objeto mais explícito do desejo de crianças e de adultos. A mercadoria tem que ter brilho e magia, senão ninguém a compra. Ela fala mais para os olhos cobiçosos do que para o coração amoroso. É dentro desta dinâmica que se inscreve a figura do Papai Noel. Ele é a elaboração comercial de São Nicolau – Santa Claus - cuja festa se celebra no dia 6 de dezembro. Era bispo, nascido no ano 281 na atual Turquia. Herdou da família importante fortuna. Na época de Natal saia vestido de bispo, todo vermelho, usava um bastão e um saco com os presentes para as crianças. Entregava-os com um bilhetinho dizendo que vinham do Menino Jesus.

Santa Claus deu origem ao atual Papai Noel, criação de um cartunista norte-americano Thomas Nast em 1886, posteriormente divulgado pela Coca-Cola já que nesta época de frio caía muito seu consumo. A imagem do bom velhinho com roupa vermelha e saco nas costas, bonachão, dando bons conselhos às crianças e entregando-lhes presentes é a figura predominante nas ruas e nas lojas em tempo de Natal. Sua pátria de nascimento teria sido a Lapônia na Finlândia, onde há muita neve, elfos, duendes e gnomos e onde as pessoa se movimentam em trenós puxados por renas.

Papai Noel existe? Esta foi a pergunta que Virgínia, menina de 8 anos, fez a seu pai. Este lhe respondeu:”Escreva ao editor do jornal local! Se ele disser que existe, então ele existe de fato”. Foi o que ela fez. Recebeu esta breve e bela resposta:

Sim, Virgínia, Papai Noel existe. Isto é tão certo quanto a existência do amor, da generosidade e da devoção. E você sabe que tudo isto existe de verdade, trazendo mais beleza e alegria à nossa vida. Como seria triste o mundo se não houvesse o Papai Noel! Seria tão triste quanto não existir Virgínias como você. Não haveria fé das crianças, nem a poesia e a fantasia que tornam nossa existência leve e bonita. Mas para isso temos que aprender a ver com os olhos do coração e do amor. Então percebemos que não há nenhum sinal de que o Papai Noel não exista. Se existe o Papai Noel? Graças a Deus ele vive e viverá sempre que houver crianças grandes e pequenas que aprenderam a ver com os olhos do coração.

É o que mais nos falta hoje: a capacidade de resgatar a imaginação criadora para projetar melhores mundos e ver com o coração. Se isso existisse, não haveria tanta violência, nem crianças abandonadas nem o sofrimento da Mãe Terra devastada.

Para os cristãos vale a figura do menino Jesus que tirita sobre as palhinhas sendo aquecido pelo bafo do boi e do jumento. Disseram-me que ele misteriosamente através de um dos anjos que cantaram nos campos de Belém enviou a todas as crianças do mundo uma cartãozinho de Natal no qual dizia:

Queridos irmãozinhos e irmãzinhas:

Se vocês olhando o presépio e me virem aí, sabendo pelo coração que sou o Deus-criança que não veio para julgar mas para estar, alegre, com todos vocês,

Se vocês conseguirem ver nos outros meninos e meninas, especialmente no mais pobrezinhos, a minha presença neles,

Se vocês conseguirem fazer renascer a criança escondida no seus pais e nos adultoss para que surja nelas o amor a ternura,

Se vocês ao olharem para o presépio perceberem que estou quase nuzinho e lembrarem de tantas crianças igualmente pobres e mal vestidas e sofrerem no fundo do coração por esta situação desumana e desejarem que ela mude de fato,

Se vocês ao verem a vaca, o boi, as ovelhas, os cabritos, os cães, os camelos e o elefante pensarem que o universo inteiro recebe meu amor e minha luz e que todos, estrelas, pedras, árvores, animais e humanos formamos a grande Casa de Deus,

Se vocês olharem para o alto e virem a estrela com sua cauda e recordarem que sempre há uma estrela sobre vocês, acompanho-os, iluminando-os, mostrando-lhes os melhores caminhos,

Então saibam que eu estou chegando de novo e renovando o Natal. Estarei sempre perto de vocês, caminhando com vocês, chorando com vocês e brincando com vocês até aquele dia que só Deus sabe quando estaremos todos juntos na Casa de nosso Pai e de nossa Mãe de bondade para vivermos bem felizes para sempre.


Belém, 25 de dezembro do ano 1.
Leonardo Boff é teólogo e escritor.

Meus sonhos de Natal
Há poucos dias sonhei que o mundo estava todo colorido e brilhante. Árvores com luzes e estrelas, bonecos lindos de papel e de barro. Um sonho fantástico. Pouca correria, muita solidariedade e partilha. Quase não havia pobres esmolando e nem violência como alunos espancando os professores e nas igrejas muito compromisso com as atividades sociais. Uma beleza. Ufah, acordei.

Um sonho. Na verdade faltam três dias para o Natal, talvez está expectativa tenha me inebriado. Perçebo que a soceidade do consumo e da pressa vive inebriada com a véspera. Tudo hoje é comemorado na véspera. Aniversário natalício, festa de casamento, carnaval e até Natal. Tudo com antecedência e sem muita ênfase no sentido daquilo que se faz. A sociedade do descartável está acima dos valores perenes. Na cidade e no sítio, no deserto e na companhia dos mais finos castelos, todas as pessoas e tudo se esvai rapidamente.

O sonho está acima dos nossos esquemas humanos invadidos pelo desejo de gozar a vida sem deixá-la revelar-se. O sonho está além de nossas estruturas sóciais, políticas e religiosas. Está no horizonte da transcendência, está na figura dos pastores de Bélem de Judá, nos vaqueiros do Nordeste brasileiro, no choro da criança haitiana. O sonho projeta nossa esperança. Nos faz ver além do material, nos ajuda a divinizar a manjedoura da nossa existência.

Creio que preciso sonhar mais, lutar mais. Não será preciso adormecer. O tempo urge. Basta viver e sonhar mais. Quem sabe meu sonho, seu sonho, nosso sonho, nos permitirá crer mais, apostar mais, defender mais a vida que se manifesta numa criança tão indefesa e na nostalgia de idosos fragilizados que todos os anos acordam para celebrar Natal.

Para você que acompanha esse blog - Feliz Vida no Natal do Menino-Deus.

José Soares de Jesus


http://jose.soaresdejesus.zip.net/index.html

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Irmã de Chico Buarque se diz 'honradíssima' com convite de Dilma para assumir Cultura


FONTE: PORTAL UOL
ANA PAULA SOUSA
DE SÃO PAULO

A nova ministra da Cultura, Ana de Hollanda, afirmou nesta terça-feira (21), pelo Twitter, que está "honradíssima" com o convite da presidente eleita, Dilma Rousseff, para assumir a pasta.

"O desafio é enorme, mas nada que seja impossível para quem respira cultura. Conto com ajuda essencial de todos que criam e produzem arte", disse ela.

Ana de Hollanda é irmã do compositor Chico Buarque de Hollanda. Dilma procurava uma mulher para a Cultura. Cantora, ela foi diretora de Música da Funarte.

O nome de Ana foi confirmado ontem, juntamente com outros seis: Alexandre Padilha (Saúde), Orlando Silva (Esporte), Luiza Bairros (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), Tereza Campelo (Desenvolvimento Social), Mário Negromonte (Cidades) e Luís Inácio Lucena Adams (AGU).

'QUERIDINHA DO PAPAI'

Quando pequena, ela era chamada de "queridinha do papai". Já adulta, ao encampar a carreira de cantora, teve de driblar outra alcunha: a de "irmã do Chico".

A provocação é revelada no documentário "Raízes do Brasil", de Nelson Pereira dos Santos. O filme, uma visita a um dos clãs mais ilustres do Brasil, nos faz descobrir que Sérgio Buarque de Hollanda (1902-1982), pensador de proa, era todo chamegos com a miudinha Ana Maria.

Gianne Carvalho - 04.set.2009/Folhapress

Irmã de Chico Buarque e ex-militante comunista, Ana de Hollanda será primeira mulher à frente da pasta de Cultura

Já a sombra artística do irmão célebre, Chico Buarque, fez com que Ana de Hollanda, 62, levasse algum tempo para tornar públicas suas composições. Em entrevistas, ela chegou a admitir o medo das comparações.

Apesar de ter debutado no palco aos 16 anos, acompanhando Chico, Ana gravou só quatro discos durante a carreira. E apenas no mais recente deles, "Só na Canção", lançado em 2009, mostrou 14 músicas de própria autoria.

Antes, cantou muito Chico, Noel Rosa, Paulo Cesar Pinheiro, Toquinho, Jards Macalé. Gravou também "Toda Saudade", de seu antecessor na Esplanada dos Ministério, Gilberto Gil.

Sua voz curta e delicada, à la Nara Leão, também foi parar nos palcos teatrais. Como atriz, Ana, que frequentou o Curso de Formação de Atores no Teatro Vento Forte, estreou há 20 anos, sob direção de Amir Haddad.

Ao lado da autora Consuelo de Castro, deu asas também à dramaturgia e assinou a peça "Paixões Provisórias".

RUA BURY

Artista que tateou diversos caminhos, Ana sempre teve também um pezinho na política. A veia engajada, nutrida desde a juventude na movimentada casa dos pais, na rua Bury, no bairro do Pacaembu, zona oeste de São Paulo, fez com que militasse no Partido Comunista.

Foi ao assumir o setor de música do Centro Cultural São Paulo (CCSP), em 1982, que a artista aproximou-se do universo da administração pública da cultura.

Após a passagem pela instituição municipal paulistana, foi chamada pelo prefeito Humberto Parro, do PSDB, para assumir a secretaria de Cultura de Osasco.

Durante o governo Lula, Ana chegou a fazer parte dos quadros do Ministério da Cultura (MinC), como diretora do Centro de Música da Funarte, entre 2003 e 2007, na gestão de Antonio Grassi.

Além de coordenar o Projeto Pixinguinha, voltado à música popular brasileira, ela participou da organização das câmaras setoriais da música. Muita gente ligada à política cultural tem, de Ana, a referência desse período.

Após a demissão de Grassi, que saiu atirando contra a administração de Gilberto Gil, ela também deixou o cargo. Sua indicação para o ministério teria sido, inclusive, capitaneada por Grassi, um dos líderes do movimento da chamada "retomada" da pasta pelo PT.

Há duas semanas, procurada pela Folha para falar sobre a indicação ao MinC, Ana de Hollanda riu e desconversou: "Vocês sabem mais do que a gente". Seu nome ganhou força quando Dilma Rousseff manifestou o desejo de ver uma mulher na pasta.

A futura ministra tem dois filhos. Dona de um perfil discreto, será a primeira mulher titular da pasta, criada em 1985.

Nova ministra está ligada a grupo contrário a Gilberto Gil

22/12/2010 - 08h32
ANA PAULA SOUSA
DE SÃO PAULO

A terça-feira foi de arrumação de gavetas no MinC (Ministério da Cultura). Após a nomeação da cantora Ana de Hollanda para a pasta, na segunda-feira, a equipe de frente do ministério comandado por Juca Ferreira começou a dar por encerrado seu trabalho.


Irmã de Chico Buarque se diz 'honradíssima' com convite de Dilma para assumir Cultura
Dilma escolhe irmã de Chico Buarque para Ministério da Cultura

O núcleo duro do MinC sabe que, dificilmente, será mantido na próxima gestão.

Mais do que simples mudança de nomes, a substituição levada a cabo por Dilma Rousseff indica, na visão de muita gente ligada à política cultural, uma mudança de curso na pasta.

Entregue a Gilberto Gil, do PV, no primeiro mandato do presidente Lula, o MinC formou-se a partir do que, na Esplanada, foi chamado de "trauma inicial".

Em 2003, petistas diretamente envolvidos no programa cultural do partido, como Antonio Grassi e Márcio Meira, não contavam com a chegada de um "verde" a seus domínio. Desde o início, houve conflitos entre os dois grupos --diversos na origem e na ideologia.

CONSPIRAÇÃO

No segundo mandato de Lula, o ator Antonio Grassi, acusado de "conspiração", acabou até demitido da Funarte por Gil. A nomeação de Ana, que trabalhava na Funarte e saiu em solidariedade a Grassi, em 2007, é, por isso mesmo, vista como a vitória de parte do grupo que, há oito anos, ficou descontente com a escolha de Lula.

O petista Celso Frateschi, ex-presidente da Funarte, é um dos que acham que Ana pode significar a retomada do programa original do PT.

"Não só acho, como espero", diz Frateschi. "O ministério tem, por exemplo, problemas sérios de gestão. Era fundamental a mudança."

Outro petista historicamente ligado à cultura, Sergio Mamberti, hoje na Funarte, mas integrante dos quadros do MinC há oito anos, tenta apaziguar a situação.

"A Ana sempre esteve ligada às políticas do ministério e tem plenas condições de dar continuidade à política atual", diz Mamberti. "Além disso, ela é uma indicação do PT, mas não é filiada ao partido. Não partilho dessa ideia de vingança."

Ouça canções interpretadas por Ana de Hollanda
http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/848700-ouca-cancoes-interpretadas-por-ana-de-hollanda.shtml

http://www.youtube.com/watch?v=Jpyue7XTeHE


http://www.youtube.com/watch?v=GgYhmRQ7Bgc&feature=related

sábado, 18 de dezembro de 2010

Querida comunidade maravilhosa da Avaaz,

Querida comunidade maravilhosa da Avaaz,

Por causa dos seus esforços a minha voz é ouvida - e a de milhões de outras pessoas. É muito bom não ser ovelhas e sim leões! Muito obrigado!!!!
- Janneke, membro da Avaaz da Holanda

Que caminhada incrível nós compartilhamos – em menos de 4 anos, nós nos tornamos o maior movimento online global da história, com quase 6,5 milhões de pessoas, e somando 60.000 novas pessoas por semana! E nós estamos apenas começando...

Eu acho que o que nos une é que nós nos importamos. Que tipo de pessoa doa $10 ou assina uma petição enquanto ninguém está olhando? Só mesmo alguém “Avaazy”. Eu e minha equipe nos sentimos muito sortudos por nosso nosso trabalho ser servir esta comunidade incrível, dedicada, diversa – vocês são os melhores chefes que poderíamos pedir – obrigado!

Juntos nós estamos cumprindo uma agenda ambiciosa na qual votamos -- desafiando o “lobby do carbono” corporativo que está mantendo o mundo refém das mudanças climáticas, protegendo as nossas florestas e oceanos, confrontando o crime organizado e o terrível comércio do estupro, trabalhando pela paz e direitos humanos desde o Oriente Médio até a Birmânia.

Para fazer tudo isto, nós precisamos que algumas pessoas se ofereçam para ajudar a financiar os custos da pequena equipe da Avaaz. No começo do ano 86% de nós votamos para construir uma base de mantenedores da Avaaz para alavancar o nosso trabalho e expandir o nosso impacto. Só $3 ou $5 por semana, o preço de dois cafezinhos, seria o suficiente para fortalecer o trabalho que irá ajudar milhões. Clique abaixo para ajudar:

https://secure.avaaz.org/po/sustain_avaaz/?vl


Neste mês, nós estamos lançando uma iniciativa de captação fundamental para garantir fundos suficientes para manter a nossa comunidade que cresce. Estas contribuições mensais de mantenedores, significam que a Avaaz pode agir de forma imediata a crises quando elas surgem, nos mobilizando rapidamente assim que surgem oportunidades de campanha. A Avaaz é 100% financiada por estas pequenas doações online da nossa comunidade – para não sermos influenciados de nenhuma forma por governos, empresas privadas ou indivíduos ricos.

Uma pequena doação de $3 ou $5 por semana de 10.000 Avaazers iria cobrir todos os custos básicos da nossa pequena equipe, ajudando a salvar vidas em emergências humanitárias, protegendo o meio ambiente e a fauna, lutando contra a corrupção e o crime organizado, defendendo a paz e combatendo a pobreza.

Muitos de nós já doamos para uma causa ou ong – eu também. Mas vale a pena apoiar a Avaaz - porque as doações não só geram mudanças agora, mas cada contribuição ajuda a fortalecer a nossa comunidade para gerar mudanças socias por décadas futuras. É um investimento com retornos imediatos e a longo prazo para o futuro das nossas crianças e do planeta. Clique para contribuir:

https://secure.avaaz.org/po/sustain_avaaz/?vl

Nos nossos primeiros 3 anos e meio, a Avaaz se tornou uma poderosa voz global porque membros se uniram, transformando o pouco tempo que cada um tem para dedicar-se a questões sociais em uma poderosa voz coletiva. Se nós conseguirmos unir esforços da mesma forma, compartilhando pequenas quantias de dinheiro que podemos contribuir, nós levaremos a nossa comunidade e o nosso impacto, para outro patamar. Mal posso esperar.

Mesmo se você não puder assumir este novo compromisso, é uma honra compartilhar esta jornada pela esperança e um mundo melhor com você. Não importa se você compartilha tempo, dinheiro ou o bem, eu e a equipe da Avaaz estamos determinados em sermos grandes parceiros, e guardiões responsáveis e competentes da sua esperança tempo e recursos. Porque se nós nos unirmos, tudo é possível.

Com esperança e gratidão por esta comunidade maravilhosa,

Ricken Patel
Co-Fundador e Diretor Executivo
Avaaz

PS - Caso você ainda esteja em dúvida, veja outros 11 motivos para doar para a Avaaz:

Primeiro motivo – O nosso trabalho funciona
Com 5,5 milhões de membros em todos os países do mundo, capazes de se mobilizar em poucos momentos em torno de necessidades e oportunidades prementes, a Avaaz funciona. Juntos, salvamos vidas no Haiti e em Mianmar, revertemos políticas estatais do Brasil ao Japão e tivemos vitórias em tratados internacionais sobre temas que abrangem desde a proibição de bombas de fragmentação até a preservação de oceanos. O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse o seguinte sobre a Avaaz: “Vocês são movidos pelo idealismo do mundo... Não subestimem o impacto que vocês exercem sobre as lideranças mundiais”. A revista The Economist diz que a Avaaz está “pronta para soar um toque de despertar para as lideranças do mundo”. E Al Gore diz: “A Avaaz é inspiradora e já fez uma diferença”. Nossa organização tem apenas três anos de existência e cresce com rapidez. Quanto mais nossos membros se envolverem e fizerem doações, mais impacto teremos.


Segundo motivo – Uma doação para a Avaaz é um investimento com retornos permanente em transformação social
Na Avaaz, as doações financiam campanhas de grande impacto que também recrutam mais participantes. Mais participantes significam mais doações – e, consequentemente, mais impacto. Assim, com sua doação você não estará apenas concretizando uma transformação específica, mas também ajudando uma comunidade a crescer com mais membros que multiplicarão nossa doação muitas vezes – uma comunidade que será uma fonte permanente e crescente de transformações. Esse tipo de impacto duplo e permanente tem um imenso valor filantrópico.


Terceiro motivo - Temos uma equipe de primeira linha que faz um trabalho excelente
Fazer campanhas, ativismo e transformação social é algo sério – quanto mais competente for a equipe, mais impactos terão nossas doações. A Avaaz atrai literalmente os melhores organizadores de campanha e ativistas do mundo.


Quarto motivo – Não temos burocracia
A Avaaz é uma gigantesca rede de cidadãos, mas nossa organização é minúscula: temos apenas quinze organizadores de campanhas trabalhando em tempo integral, prestando apoio operacional e tecnológico. A maioria das grandes ONGs de atuação mundial tem equipes com centenas ou mesmo milhares de membros. Nosso pequeno porte significa que não temos tempo para burocracia, administração em vários escalões, nem para nos concentrar em outra coisa além de resultados.


Quinto motivo – Temos auditorias regulares e responsabilidade fiscal
Hoje em dia, há muitos motivos para se temer o abuso de dinheiro de doações. A maior parte dessas doações é mal-empregada: a maioria das organizações está cheia de boas pessoas com boas intenções. Na Avaaz, você pode ter certeza de que isso não acontece – em parte, porque somos obrigados por lei a passar por auditoria a cada doze meses. Essa auditoria é extremamente abrangente minuciosa e verifica todos os aspectos de nossos livros e práticas financeiras. Fomos auditados três vezes desde o início de nossas atividades e todas as vezes ganhamos um atestado de saúde absolutamente irrepreensível. Role a página para ver uma especificação de nossos gastos, nossos certificados de auditoria e declarações aos órgãos tributários.


Sexto motivo – Repassamos o dinheiro quando isso fizer sentido, apoiando as melhores iniciativas
A Avaaz doou quase US$4 milhões a outras organizações, porque vimos que essas organizações estavam melhor posicionadas que nós para gerar impacto em determinada problemática. Por exemplo, demos US$ 1,6 milhões aos monges e grupos humanitários de Mianmar (clique aqui para ver o relatório) e US$ 1,3 milhões a organizações humanitárias do Haiti – veja este vídeo feito pelos grupos que receberam doações nossas. Nosso modo de apoiar outras organizações também é importante para nós. A maioria das fundações tem processos e barreiras infindáveis que as tornam lentas, burocráticas e conservadoras quanto aos riscos de apoiar uma causa de ativismo. A Avaaz encontra as melhores pessoas e organizações e não tenta controlá–las nos mínimos detalhes – nós apenas damos a elas a autonomia para fazer o que elas fazem de melhor.


Sétimo motivo – Somos 100% independentes
A não Avaaz não recebe absolutamente nenhum recurso do Estado, nem de empresas. Isso é de máxima importância para garantir que nossa voz seja determinada exclusivamente pelos valores compartilhados por membros e não por um grande financiador ou programa de ação. Embora tenhamos recebido doações iniciais de organizações parceiras e entidades beneficentes, atualmente quase 90% do orçamento da Avaaz provém de pequenas doações via internet. Isso significa que o único programa de ação que temos de seguir é aquele determinado pelo povo.


Oitavo motivo – Somos políticos (isso é muito importante)
A maioria das entidades beneficentes oferece dedução do imposto de renda para suas doações. Porém, isso significa que elas são, de certa forma, financiadas parcialmente pelos contribuintes e o Estado usa isso para impor uma série de regras pesadas capazes de controlar o que as entidades podem ou não podem fazer. A principal dessas regras é a restrição sobre o que se pode dizer para criticar, apoiar ou atacar um político. A Avaaz é um caso muito raro, no sentido de que nossas doações não são dedutíveis do imposto de renda e, portanto, estamos 100% livres para dizer e fazer o que for necessário a fim de fazer as lideranças mundiais ouvirem a voz do povo. Como há tantas problemáticas importantes pelas quais se luta, com ou sem sucesso, na esfera política, isso nos torna muito mais eficientes que grupos de ativistas que se esquivam de expressar em público sobre política.


Nono motivo – Atuamos em áreas de grandes necessidades e oportunidades
A maioria das organizações se concentra em uma única problemática durante um longo período. Isso é muito importante, mas pode também significar que quando surgem necessidades urgentes ou oportunidades incríveis de transformação social, elas são ignoradas porque todos estão trabalhando com suas próprias problemáticas. As campanhas da Avaaz têm por alvo as necessidades e oportunidades mais urgentes, que surgem justamente quando se mais precisa de uma poderosa explosão de atenção por parte do povo do planeta.


Décimo motivo – A prestação de contas democrática está indelevelmente embutida em nosso modelo
O modelo de campanhas da Avaaz é alimentado pelo povo. Nossas prioridades são definidas com frequência anual e seminal por pesquisas feitas em nosso quadro de membros, assim como cada campanha que fazemos. Aqui está um link para nossa pesquisa anual de 2010: http://avaaz.org/po/people_power_in_2010/. Não importa quanto esforço tivermos empregado no desenvolvimento de uma campanha: se ela não obtiver a aprovação dos membros, não a executaremos. Assim, diariamente, são nossos próprios membros que definem diretamente como devemos usar as doações que recebemos.


Décimo primeiro motivo – Não há outra organização como a nossa
A Avaaz é a primeira e única organização de ativistas genuinamente internacional com participação em massa, uso de alta tecnologia, alimentada pelo povo e dedicada a problemáticas múltiplas. Em um mundo no qual os problemas que enfrentamos têm caráter uniformemente planetário e as soluções para esses problemas cada vez mais exigem uma ação democrática planetária, a Avaaz tem uma posição única para gerar transformações. Nenhuma outra organização é capaz de mobilizar rapidamente e em grande escala uma pressão democrática em mais de 150 países em menos de 24 horas. Um novo modelo de política baseada na internet e alimentado pelo povo tem mudado a política em diversos países, e a Avaaz está levando esse modelo de sucesso comprovado ao nível global. O resultado disso é um movimento virtual global que já é o maior da história – e nós estamos apenas começando...

CULTURA, DIREITOS HUMANOS E COMUNIDADE

OSSOS DO OFÍCIO debate:

CULTURA, DIREITOS HUMANOS E COMUNIDADE - Um passo para a emancipação humana, política e social
Na próxima terça, dia 21 de dezembro, será debatido no Ossos do Ofício “CULTURA, DIREITOS HUMANOS E COMUNIDADE - Um passo para a emancipação humana, política e social” com Edilberto Rodrigues Souza Filho, professor e educador, integrante do Instituto Braços/SE (organização da sociedade civil que atua na promoção da cultura dos direitos humanos por meio da defesa de direitos, estudos e pesquisas e do controle social das políticas públicas, mecanismos de afirmação da igualdade e da ética). Edilberto vai trazer ao público uma discussão sobre a relação entre cultura e comunidade e seus aspectos sociais.

Nesta edição do Ossos do Ofício, a cultura será relacionada às comunidades, enquanto aspecto emancipador, de transformação da realidade. Será trazido como ponto de partida a análise de exemplos concretos no de ações culturais comunitárias exitosas, como, o Projeto Axé, o Projeto Cultural AfroReggae, entre outros. Interligando os conceitos culturais à prática cultural comunitária, os exemplos serão relacionados a realidade de Aracaju

Este é um importante momento de encontro de organizações e fazeres em comunidades de Aracaju. Para enriquecer o debate, é importante a presença dos diversos grupos e entidades, trazendo à discussão diferentes olhares e práticas comunitárias em Aracaju.
Dia 21 de dezembro, terça-feira, às 19hs, na Escola Oficina de Artes Valdice Teles - Avenida Pedro Calazans, 737, Bairro Cirurgia (onde localizava-se o antigo Colégio Master).
Edilberto Rodrigues Souza Filho é educador social e professor de filosofia, tendo atuado como educador em projetos do UNICEF, do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua e da Prefeitura Municipal de Aracaju. Foi coordenador da Rede de Abrigo da Fundação Renascer de Sergipe, executor do programa de cultura e cidadania do Pró-Jovem de Aquidabã. Hoje é professor da rede privada de ensino e sócio-fundador do Instituto Braços, atuando como coordenador de rede e gestão de sustentabilidade do Instituto Braços.
O Ossos do Ofício é uma realização da Prefeitura Municipal de Aracaju, através da Funcaju, e conta com o apoio da Fundação Aperipê de Sergipe.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

WikiLeaks: parem a perseguição

Caros amigos,

A campanha de intimidação agressiva de governos e empresas sobre o WikiLeaks (que provavelmente não violou nenhuma lei) é um ataque à liberdade de imprensa e democracia. Nós precisamos de uma manifestação pública massiva para acabar com os ataques -- vamos conseguir 1 milhão de vozes e publicar anúncios de página inteira nos principais jornais dos EUA esta semana!

A campanha de intimidação massiva contra o WikiLeaks está assustando defensores da mídia livre do mundo todo.

Advogados peritos estão dizendo que o WikiLeaks provavelmente não violou nenhuma lei. Mas mesmo assim políticos dos EUA de alto escalão estão chamando o site de grupo terrorista e comentaristas estão pedindo o assassinato de sua equipe. O site vem sofrendo ataques fortes de países e empresas, porém o WikiLeaks só publica informações passadas por delatores. Eles trabalham com os principais jornais (NY Times, Guardian, Spiegel) para cuidadosamente selecionar as informações que eles publicam.

A intimidação extra judicial é um ataque à democracia. Nós precisamos de uma manifestação publica pela liberdade de expressão e de imprensa. Assine a petição pelo fim dos ataques e depois encaminhe este email para todo mundo – vamos conseguir 1 milhão de vozes e publicar anúncios de página inteira em jornais dos EUA esta semana!

http://www.avaaz.org/po/wikileaks_petition/?vl

O WikiLeaks não age sozinho – eles trabalham em parceria com os principais jornais do mundo (NY Times, Guardian, Der Spiegel, etc) para cuidadosamente revisar 250.000 telegramas (cabos) diplomáticos dos EUA, removendo qualquer informação que seja irresponsável publicar. Somente 800 cabos foram publicados até agora. No passado, a WikiLeaks expôs tortura, assassinato de civis inocentes no Iraque e Afeganistão pelo governo, e corrupção corporativa.

O governo dos EUA está usando todas as vias legais para impedir novas publicações de documentos, porém leis democráticas protegem a liberdade de imprensa. Os EUA e outros governos podem não gostar das leis que protegem a nossa liberdade de expressão, mas é justamente por isso que elas são importantes e porque somente um processo democrático pode alterá-las.

Algumas pessoas podem discordar se o WikiLeaks e seus grandes jornais parceiros estão publicando mais informações que o público deveria ver, se ele compromete a confidencialidade diplomática, ou se o seu fundador Julian Assange é um herói ou vilão. Porém nada disso justifica uma campanha agressiva de governos e empresas para silenciar um canal midiático legal. Clique abaixo para se juntar ao chamado contra a perseguição:

http://www.avaaz.org/po/wikileaks_petition/?vl

Você já se perguntou porque a mídia raramente publica as histórias completas do que acontece nos bastidores? Por que quando o fazem, governos reagem de forma agressiva, Nestas horas, depende do público defender os direitos democráticos de liberdade de imprensa e de expressão. Nunca houve um momento tão necessário de agirmos como agora.

Com esperança,

Ricken, Emma, Alex, Alice, Maria Paz e toda a equipe da Avaaz

Fontes:

Fundador do site WikiLeaks é preso em Londres:
http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/fundador+do+site+wikileaks+e+preso+em+londres/n1237852973735.html

Visa e MasterCard se unem ao boicote contra WikiLeaks:
http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/visa-e-mastercard-se-unem-ao-boicote-contra-wikileaks


Hackers lançam ataques em resposta a bloqueio de dinheiro do Wikileaks:
http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5g5_1RyqwzqqSdcdkuXSkRwc3OCbA?docId=CNG.3ee5f70f5e1bc38f749f897810be5a31.6a1
Conheça o homem por trás do site que revelou documentos secretos americanos:
http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/conheca-a-historia-do-site-que-revelou-documentos-secretos-americanos/

O criador do WikiLeaks, entre a sombra e a busca pela verdade:
http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hRW1-BWMeIXP6Spyr_UdQJbqu5_g?docId=CNG.24a480c86aa11494311806f554755ceb.701
Saiba mais sobre os telegramas diplomáticos:
http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/saiba+mais+sobre+os+telegramas+diplomaticos/n1237852399276.html

Apoie a comunidade da Avaaz! Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas -- clique para doar.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

‘Alguns choravam’, diz pastor que negociou rendição de traficantes

‘Alguns choravam’, diz pastor que negociou rendição de traficantes
Evangélico que acompanhou líder do AfroReggae no Complexo do Alemão defende anistia como forma de resolver confrontos no Rio

LEIA MAIS:
http://ultimosegundo.ig.com.br/alguns+choravam+diz+pastor+que+negociou+rendicao+de+traficantes/n1237844816095.html


LEIA TAMBÉM:

http://www.overmundo.com.br/overblog/com-arte-e-com-afeto-1

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Onda de violência é "preço que Rio paga" por combater tráfico, diz ex-comandante do Bope

24/11/2010 - 07h00 Onda de violência é "preço que Rio paga" por combater tráfico, diz ex-comandante do Bope
Guilherme Balza
Fonte: UOL Notícias
Em São Paulo

A semana começou com uma onda de violência no Rio de Janeiro. Somente no domingo e na segunda-feira, oito carros foram incendiados e duas bases da polícia metralhadas por traficantes. Somando as últimas duas semanas, criminosos atearam fogo em pelo menos 15 veículos na capital e em cidades da região metropolitana. Já a zona sul vê um crescimento no número de arrastões e furtos ao longo dos últimos dois meses.

Para o ex-comandante do Bope (Batalhão de Operações Policiais da Polícia Militar do RJ), Rodrigo Pimentel --que inspirou o personagem capitão Nascimento, de Tropa de Elite--, a onda de violência deflagrada no Rio de Janeiro é o preço que o governo e a sociedade têm de pagar em razão da intensificação da repressão ao tráfico.

Também ontem, o comando do presídio de segurança máxima de Catanduvas (487 km de Curitiba) anunciou a mudança em seu comando depois que um bilhete com planos de ataque às UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) ter sido apreendido na unidade, em outubro.


Leia mais em :

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2010/11/24/onda-de-violencia-e-preco-que-rio-paga-por-combater-trafico-diz-ex-comandante-do-bope.jhtm

Leia mais em:

http://www.brasildefato.com.br/node/5143

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Vejam as novidades do Programa Juventude Transformando com Arte!


É com alegria que compartilhamos com todos o clipe da 3a Mostra Brasil que está disponível no nosso canal. Neste vídeo estão trechos de apresentações dos grupos que se apresentaram nos espetáculos de música, dança e mistura de linguagens, com depoimentos dos jovens artistas e de espectadores. Em breve, versões exclusivas de cada noite de espetáculo da Mostra Brasil também estarão disponíveis, possibilitando conhecer mais de perto o trabalho de cada grupo participante. Não deixem de conferir!

Além do vídeo da Mostra Brasil no youtube, algumas novidades podem ser conferidas no Blog JuventudeArte , no qual uma série de conversas e depoimentos de jovens talentosos sobre o fazer artístico estão reunidos.

Davi Baltar, do coletivo Mafia 44, que ministrou uma oficina de graffiti para os jovens da 3ª Mostra Brasil, nos mostra um pouco do seu trabalho e fala da maneira como encara a sua arte:

“Penso que mais importante que "formar grafiteiros", é conscientizar uma comunidade (...). Esse tipo de pequenas experiências que passamos, nos ensina que uma pintura numa parede pode gerar uma reação cultural num local antes descuidado. E os jovens são os mais atentos a isso, pois ainda estão bem abertos a novas idéias.” Leia mais aqui

“A informal”, monólogo da atriz e poetiza Ana Paula Risos, também é um dos destaques do blog. A inquietação e visão crítica presentes nesta proposta teatral tornam este um programa irresistível para quem tiver a chance de vê-la em cena. (Alô, público de São Paulo! Quem já foi ver “A informal” , conta pra gente!) E, no post Ana Paula Risos, por Ana Paula Risos, a própria dá um depoimento sobre o seu ofício, contando um pouco da sua trajetória pessoal e falando da falta de oportunidades para a juventude e da importância de repensar esta realidade.

O ator Igor Tadeu e a dançarina Glaucia Fernanda da Cia Eclipse também participam desta conversa, falando de suas profissões, visões de mundo e desejos de transformação.

Bom divertimento!

O que é o Programa Juventude Transformando com Arte?

Ações integradas que visam contribuir para identificação, fortalecimento e divulgação de grupos e instituições que trabalham com arte e cultura, envolvendo jovens brasileiros, com foco na transformação social. Coordenado pelo CEPP, o programa é composto das seguintes ações e produtos:


Mapeamento de Experiências Sociais com Arte e Cultura:
Região Nordeste – 2007 Região Sudeste - ES, SP e RJ - 2009/2010
Mostra Brasil (Rio de Janeiro): 2006, 2008, 2010
Revista Juventudearte: 2007 e 2009
Revista Mapa da Mina: resultados do mapeamento São Paulo, 2010

juventudearte@juventudearte.org.br
www.juventudearte.org.br

MAIS:

http://www.overmundo.com.br/overblog/mostra-brasil-juventude-transformando-com-arte

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

I Edital Procultura – Núcleo de Formação Cultural da Juventude Negrapor:


I Edital Procultura – Núcleo de Formação Cultural da Juventude Negrapor: Comunicação - Representação Regional Nordeste do MinC, em Textos no dia 12/11/2010

O governo federal, por meio do Ministério da Cultura e da Fundação Palmares, lançou o Edital Seleção Pública para Apoio a Projetos: I Edital Procultura – Núcleo de Formação Cultural da Juventude Negra. Esta ação está em conformidade com o Plano de Trabalho Anual do Fundo Nacional da Cultura, aprovado em setembro deste ano, e é destinado a instituições educacionais e culturais, públicas e do terceiro setor, que tenham como foco de atuação o ensino superior.

O Edital tem por objetivo selecionar projetos para implantação de dez NUFOC - Núcleos de Formação Cultural, em dez Estados brasileiros diferentes, sendo duas instituições selecionadas em cada Região do País: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Os projetos devem ser elaborados para viabilizar o acesso de jovens afrobrasileiros, entre 16 e 25 anos, a uma capacitação técnico-cultural. Sua finalidade deve ser a formação de agentes culturais, aptos a atuar como promotores da cultura afrobrasileira no mercado de trabalho e em suas comunidades, conscientes das habilidades específicas necessárias à execução das atividades e com claro entendimento sobre a forte influência da cultura africana na formação da sociedade brasileira.

A meta da iniciativa é viabilizar a formação intelectual e técnica de seis mil jovens negros: três mil universitários e três mil estudantes do ensino médio com a formação concluída. Eles também deverão ser oriundos das classes sociais C, D e E, de todo o Brasil. O aporte de recursos para este edital é da ordem de seis milhões de reais, dos quais cerca de cinco milhões serão destinados para os NUFOC e o restante para custos administrativos e de divulgação.

A Fundação Palmares realizará sete oficinas para a divulgação do Procultura durante o mês de novembro. A primeira será nesta sexta-feira (12) em Boa Vista (RR). A juventude de Salvador (BA); Recife (PE); Brasília (DF); Porto Alegre (RS); São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) também receberão a capacitação. As oficinas serão ministradas por técnicos da Fundação Palmares e terá transmissão por videoconferência ou webconferência. A oficina de Salvador, que conta com o apoio da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura, será realizada na sede do Banco do Nordeste do Brasil e será transmitida por videoconferência. Os interessados dos demais estados do Nordeste poderão acompanhar a transmissão nas sedes BNB localizadas nas capitais de cada Estado.

Serviço:

Edital Procultura
Inscrições das propostas devem ser feitas até 11 de dezembro de 2010 pelo sistema SALIC, do MinC – http://sistemas.cultura.gov.br/propostaweb/

Dúvidas poderão ser respondidas pelo endereço eletrônico editalnufoc@palmares.gov.br, ou pelo telefone (61) 3424-0185.

Oficina de capacitação – Salvador (BA)
Data – 18 de novembro
Horário – 14h30 às 17hLocal – Banco do Nordeste do Brasil, Av. Estados Unidos, nº 346 – 12º Andar - Edifício Prof. Miguel Calmon Sobrinho -Comércio
Tel. – (71) 3103 2884/2892

Inscrições: Os interessados em participar da videoconferência deverão enviar nome e número do documento de identidade para o endereço eletrônico karina.gama@palmares.gov.br. Mais informações podem ser obtidas por meio do mesmo e-mail ou pelo telefone (61) 3424 0185, com Karina Gama.

Endereços do Banco do Nordeste do Brasil

Aracaju (SE)
R. Itabaianinha, 44 – 3º Andar – Centro

Fortaleza (CE)
Av. Pedro Ramalho, 5700 – Passaré

João Pessoa (PB)
Av. Pres. Epitácio Pessoa, 1251 – 12º Andar – Ed. Empresarial Epitácio Pessoa – Bairro dos Estados

Maceió (AL)
Rua da Alegria, 407 – Centro

Natal (RN)
Av. Antonio Basílio, 3006. Ed. Lagoa Center. Loja 35C – Lagoa Nova

Recife (PE)
Av. Conde da Boa Vista, 800 – 2º Andar – Edif. Apolônio Sales – Bairro da Boa Vista

Salvador (BA)
Av. Estados Unidos, 346 – 12º Andar – Edif. Prof. Miguel Calmon Sobrinho – Comércio

São Luís (MA)
Avenida Colares Moreira, Quadra 100, Lote II, Edifício Expresso XXI Renascença II

Teresina (PI)
Rua Rui Barbosa, 163 – Centro

Fonte: Fundação Palmares

Missa dos Quilombos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.Ir para: navegação, pesquisa

No dia 20 de novembro de 1981 era celebrada no Recife (PE), para um público de 8 mil pessoas, a Missa dos Quilombos. A TV Senado contou a história dessa celebração criada por Dom Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra, com música de Milton Nascimento, no documentário A Missa dos Quilombos. O ato religioso denunciou as consequências da escravidão e do preconceito no Brasil e se transformou numa cerimônia de fé, comunhão, música e ritmo, a partir da atitude revolucionária de membros da Igreja em favor da introdução das referências culturais de diferentes povos na eucaristia.

O documentário procura resgatar a importância histórica da obra. A equipe da emissora viajou para São Felix do Araguaia (MT), Rio de Janeiro e Belo Horizonte para colher depoimentos exclusivos dos três autores, do bispo Dom José Maria Pires - que conduziu a cerimônia em Recife -, do diretor teatral Luiz Fernando Lobo - que dirigiu o espetáculo homônimo encenado pela Cia. Ensaio Aberto -, do compositor Fernando Brant, do percussionista Robertinho Silva e de todos os músicos, artistas e produtores envolvidos nessa grande história. Imagens exclusivas do acervo do empresário mineiro Márcio Ferreira, diretor e produtor das missas desde a sua primeira celebração, enriquecem o trabalho.

A Missa dos Quilombos apresenta ainda a música e a voz de Milton Nascimento e seu depoimento emocionado sobre as celebrações, e a revelação de Dom Pedro Casaldáliga sobre o sentido revolucionária da missa. Outras participações destacam o contexto político, social e estético da época, apoiado pelo minucioso trabalho de pesquisa da produção da TV Senado.

Com direção de Liloye Boubli e produção de Cláudia Rangel, o documentário estreou em novembro de 2006, mês em que a missa completou 25 anos desde a sua celebração em Recife. Naquele mês, a Missa dos Quilombos foi ao ar na sexta-feira (dia 17), às 22h30, no sábado (dia 18), às 15h30 e 21h; e domingo (dia 19), às 21h30.

Referências
Jornal do Senado. Brasília, 13 a 19 de novembro de 2006.

PARA ASSSISTIR, CLIQUE AQUI

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Calem a boca, nordestinos!

Por José Barbosa Junior


A eleição de Dilma Rousseff trouxe à tona, entre muitas outras coisas, o que há de pior no Brasil em relação aos preconceitos. Sejam eles religiosos, partidários, regionais, foram lançados à luz de maneira violenta, sádica e contraditória.

Já escrevi sobre os preconceitos religiosos em outros textos e a cada dia me envergonho mais do povo que se diz evangélico (do qual faço parte) e dos pilantras profissionais de púlpito, como Silas Malafaia, Renê Terra Nova e outros, que se venderam de forma absurda aos seus candidatos. E que fique bem claro: não os cito por terem apoiado o Serra... outros pastores se venderam vergonhosamente para apoiarem a candidata petista. A luta pelo poder ainda é a maior no meio do baixo-evangelicismo brasileiro.

Mas o que me motivou a escrever este texto foi a celeuma causada na internet, que extrapolou a rede mundial de computadores, pelas declarações da paulista, estudante de Direito, Mayara Petruso, alavancada por uma declaração no twitter: "Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!".

Infelizmente, Mayara não foi a única. Vários outros “brasileiros” também passaram a agredir os nordestinos, revoltados com o resultado final das eleições, que elegeu a primeira mulher presidentE ou presidentA (sim, fui corrigido por muitos e convencido pelos "amigos" Houaiss e Aurélio) do nosso país.

E fiquei a pensar nas verdades ditas por estes jovens, tão emocionados em suas declarações contra os nordestinos. Eles têm razão!

Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste!

Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?

Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?

Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?

Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos... pasmem... PAULISTAS!!!

E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano.

Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.

Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura...

Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner...

E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melofias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia...

Ah! Nordestinos...

Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?

Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar.

Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!

Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!

Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário... coisa da melhor qualidade!

Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso... mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!

Minha mensagem então é essa: - Calem a boca, nordestinos!

Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.

Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.

Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”



Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!



José Barbosa Junior, na madrugada de 03 de novembro de 2010.




Fonte: http://www.crerepensar.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=204&Itemid=26

Semana Nacional da Consciência Negra

Semana Nacional da Consciência Negra - No dia 20 de novembro, bons vídeos pra ser passado nas celebrações

http://www.youtube.com/watch?v=DMaOkyylwoQ&feature=player_embedded#!


http://www.youtube.com/watch?v=EUmAI3KMHQA&feature=related

Congresso Nacional aprova diretrizes para política cultural

O Plano Nacional de Cultura (PNC) foi aprovado, por unanimidade, nesta terça-feira (9), na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal e segue agora para sanção presidencial. Depois de sua assinatura, o Ministério da Cultura terá 180 dias para definir metas a atingir na implementação do plano.

Demandado pela sociedade por meio da I e II Conferência Nacional de Cultura e em esforço conjunto entre o Ministério da Cultura e o Congresso Nacional, o PNC representa um avanço para a Cultura do país ao definir as diretrizes da política cultural pelos próximos 10 anos.

“A aprovação do Plano Nacional de Cultura é uma vitória muito grande, primeiro, porque institucionaliza os avanços obtidos nos últimos anos pelo governo federal na área da cultura e, depois, porque garante a continuidade das políticas culturais no Brasil”, comemorou o ministro da Cultura, Juca Ferreira.

A relatora do projeto, senadora Marisa Serrano, afirmou ser necessário ao Legislativo dar continuidade aos projetos em prol da cultura brasileira para que as diretrizes estabelecidas no Plano Nacional sejam eficazes ao marco regulatório do setor: “O PNC servirá como ponto de partida para um conjunto de políticas culturais a serem construídas”.

O que é o Plano Nacional de Cultura?

O Plano Nacional de Cultura (PNC) é o primeiro planejamento de longo prazo do Estado para a área cultural na história do país. Sua elaboração como projeto de lei é obrigatória por determinação da Constituição desde que o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional nº 48, em 2005.

As prioridades e os conceitos trazidos por ele constituem um referencial de compartilhamento de recursos coletivos que norteará as políticas públicas da área num horizonte de dez anos, inclusive com metas.

Seu texto foi aperfeiçoado pela realização de 27 seminários, em cada unidade da federação, resultantes de um acordo entre MinC e Comissão de Educação e Cultura da Câmara.
Os 13 princípios do PNC
- Liberdade de expressão, criação e fruição
- Diversidade cultural
- Respeito aos direitos humanos
- Direito de todos à arte e à cultura
- Direito à informação, à comunicação e à crítica cultural
- Direito à memória e às tradições
- Responsabilidade socioambiental
- Valorização da cultura como vetor do desenvolvimento sustentável
- Democratização das instâncias de formulação das políticas culturais
- Responsabilidade dos agentes públicos pela implementação das políticas culturais
- Colaboração entre agentes públicos e privados para o desenvolvimento da economia da cultura
- Participação e controle social na formulação e acompanhamento das políticas culturais

Pelo projeto, o governo federal terá 180 dias para definir metas para atingir esses objetivos, que serão medidas pelo Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), já em implantação no Ministério da Cultura.
Os estados e municípios que quiserem aderir às diretrizes e metas do Plano Nacional de Cultura terão de elaboração seu respectivo plano decenal em até 180 dias. Para isso, contarão com assistência do MinC. O conteúdo será desdobrado, ainda, em planos setoriais.

(Comunicação Social/MinC)
Responder Encaminhar

Parentes e amigos, companheiros de luta!

Em Brasilia comecaram as articulacoes do novo governo do Brasil liderado por Dona Dilma, com o nome de transicao de governo.

Nos chegaram informacoes sigilosas que algumas pessoas ja se articularm para mudancas na FUNAI.

E como dizia nosso grande sabio, Jeca Tatu, de que onde tem fumaca tem fogo, creio que os indigenas deveriam comecar a sondar qual o lugar que vai caber ao indio nos quadros da FUNAI e da Secretaria de Saude Indigena, Secretaria da Mulher, Secretaria da Juventude, Seppir, Ministerio do Meio Ambiente, Petrobras, Eletrobras, MEC, Ministerio do Trabalho, Ministerio da Cultura, Ciencia e Tecnologia e Relacoes Exteriores

Sei que muita gente podera estar rindo dessa afirmacao mas todos esses setores estao debatendo e tem deveres com a causa e os povos indigenas, entao por que nao termos indigenas nesses setores?

Vai ser dificil colocar um Indio na Presidencia da FUNAI pois o governo nao esta preparado, maduro para ver essa realidade, mas esse dia chegara. Mas podemos reivindicar a Chefia de Gabiente, a Diretoria de Terras, a Coordenacao de Administracao, Coordenacao de Estudos e Pesquisas, a Coordenacao de Projetos Especiais, Coordencacao Juridica, Coordencaao de Imprensa, sem falar nas areas regionais.

Entao pessoal, vamos nos articular logo o mais rapido possivel, apresentar os curriculuns e fazer lobby e com o compromisso de nao ficar indio derrubando indio, mas fortalecendo o irmao de luta, como o movimento negro do Brasil ta fazendo, exigindo que 30% das vagas em cada Ministerio seja garantido pra eles.

Grande abraco Nacao Indigena. Grande abraco Guerreiros e Guerreiras.

Acreditem no seu valor! Acreditem na forca dos nossos ancestrais e vamos a luta!

--
*MARCOS TERENA*
http://twitter.com/MarcosTerena
http://marcosterena.blogspot.com
http://www.youtube.com/marcosterena

sábado, 13 de novembro de 2010

Luto: Morre o cantor Irmão

Fonte: Infonet

O artista que foi pioneiro na defesa das causas ecológicas faleceu na noite da última sexta-feira, 12

Um artista que mesmo durante o período da censura, transmitia através da música mensagens para um futuro melhor e mais justo. Assim era Wellington dos Santos, ou melhor Irmão. Um cantor sergipano que faleceu aos 61 anos por volta das 23 horas da última sexta-feira, 12, no Hospital Primavera. O artista lutava contra um câncer no pulmão e estava internado no Primavera há 10 dias.

O amigo, parceiro musical e admirador, Mingo Santana, disse emocionado que horas antes da partida, alguns artísticas sergipanos como Amorosa e Tonho Baixinho foram até o hospital e se despediram do ídolo.

“Sinto-me honrado e privilegiado em ter conhecido Irmão. Um exemplo de um ser muito manso e tranquilo que mesmo nos momentos de dor juntava forças para agradecer as enfermeiras que cuidava dele”, lembra Mingo.

O velório de Irmão está sendo realizado no Cemitério Colina da Saudade e o sepultamento será ás 16h deste sábado, 13.

Por Kátia Susanna

UAB oferecerá mestrado a distância – Mestrado EAD

Primeiras vagas serão abertas a partir do primeiro semestre de 2011

A partir de 2011, a UAB (Universidade Aberta do Brasil) passará a oferecer
os primeiros programas de pós-graduação stricto sensu a distância.
Atualmente, são disponibilizadas vagas em cursos de graduação e
especialização. Estão previstas, a princípio, a criação de dois cursos de
mestrado profissional: educação infantil e docência em matemática para
escola básica. A decisão é um marco na modalidade, já que não existem
mestrados a distância no Brasil. Anovidade, divulgada com exclusividade ao
Universia por Celso José da Costa, coordenador-geral do sistema, integrará o
Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica do MEC
(Ministério da Educação).

“Com a maturidade do programa, essa expansão é mais do que necessária.
Atéporque a capacitação dos professores da rede pública de ensino não se
limita à graduação e a especialização”, explica Costa, que acrescenta a
importância da UAB no processo de formação continuada dos educadores
brasileiros. “Aqueles que já concluíram a graduação terão a oportunidade de
continuar a estudar e se aperfeiçoar”, justifica. De acordo com o
coordenador-geral, os programas ainda estão em fase de desenvolvimento e
comissões especializadas se reunirão ao longo do ano para definir tanto o
plano pedagógico, como o administrativo. “O edital de seleção de propostas
será lançado ainda esse ano”, garante ele, que prevê a abertura das
primeiras vagas no primeiro semestre de 2011.

O potencial da iniciativa é reconhecido por Paulo Monteiro Vieira Braga
Barone, presidente da Câmara de Educação Superior – órgão vinculado ao
Conselho Nacional de Educação. Na opinião dele, os programas de
pós-graduação stricto sensu influenciarão a formação dos professores
brasileiros. “A docência é muito mais ligada à concepção, do que a
evidência. Daí a importância de garantir o contato de nossos profissionais à
vivência em investigação”, ressalta ele. “Portanto, espera-se que essa
oportunidade influencie muito mais gente, tanto no trabalho quanto nos
processos formativos”, acrescenta ele.

Ao mesmo tempo em que o programa contribuirá com a formação dos docentes,
promete viabilizar mudanças na rede pública de Ensino Básico no País. É o
que acredita Klaus Schlünzen Junior, coordenador do Núcleo de Educação a
Distância da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho).
“A própria característica do mestrado profissional viabilizará esses dois
processos. Até porque, o programa alia formação teórica às necessidades do
próprio mercado. Ou seja, os estudantes serão mobilizados a desenvolver
trabalhos de investigação relacionados ao sistema educacional brasileiro com
a identificação de soluções para problemas reais”, explica ele.

Além disso, a modalidade a distância permitirá o aumento do contato de
professores com os programas de pós-graduação stricto-sensu. “A formação
superará barreiras geográficas. E mais, permitirá uma riqueza cultural ainda
maior ao curso”, acredita Schlünzen Junior.

Garantia de qualidade

Apesar do potencial, o sucesso dos novos programas da UAB vai depender das
estruturas adotadas. “Hoje a preocupação frequente na implementação de
qualquer curso, seja ele presencial ou a distância, é a qualidade”, enfatiza
Barone. Fator que, segundo ele, é ainda mais relevante em iniciativas
pioneiras. “Ainda que a legislação brasileira possibilite a criação de
cursos de pós-graduação stricto sensu a distância, não há programas com
essas características no País”, afirma ele.

Barone acredita que o preconceito com relação à modalidade também gera uma
maior desconfiança no processo de formação, sobretudo em mestrados e
doutorados. “As experiências recentes, porém, comprovam que os processos bem
planejados podem formar bons profissionais. Há inclusive graduados pelo
sistema que garantiram os primeiros lugares em concursos públicos”, declara
o presidente da Câmara de Educação Superior, que acredita na repetição da
tendência nos cursos strictos sensu da UAB. “Mas até que os resultados sejam
conquistados nessa nova proposta, o esforço com a qualidade será o principal
atrativo”, diz Barone.

A garantia da qualidade, na opinião de Barone, está na interação entre corpo
docente e discente. Ele aponta ainda a importância dos programas respeitarem
os princípios dos próprios cursos presenciais. “A gestão do mestrado a
distância precisa ser muito bem pensada para que a formação dos
profissionais não seja deturpada e garantam os mesmos resultados dos
programas presenciais”, defende ele.

Para preservar a excelência da formação das pós-graduações das instituições
de Ensino Superior públicas, Costa garante a adoção dos mesmos procedimentos
adotados pelos cursos presenciais. “Os pré-requisitos exigidos pela Capes
(Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) também deverão
ser respeitados”, resume o coordenador-geral da UAB.

Mesmo sendo a distância, Barone ressalta ainda a necessidade de dedicação
por parte dos estudantes. “Para possibilitar isso, será obrigatória a oferta
de bolsas. Até porque, a dedicação à pesquisa, mesmo que na modalidade a
distância, é essencial para a realização de pesquisas”, afirma ele. A real
necessidade de auxílios, porém, já está nos planos do sistema UAB. “Pela
primeira vez, o governo oferecerá bolsas na modalidade mestrado
profissional”, assegura Costa. Ele garante já ter o aval tanto da Capes como
do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para
isso.

Muito mais do que oferecer cursos de pós-graduação stricto sensu, a UAB
servirá de base na implementação de novos programas. “A iniciativa passará a
servir de exemplo e de incentivo para as instituições de ensino, tanto
privadas como públicas”, afirma Schlünzen Junior. Ele relaciona essa
responsabilidade à importância da construção de uma estrutura sólida para os
novos programas de pós-graduação.

Fonte Universia

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Juntando os cacos - Frei Betto

Campanha eleitoral, apurado o resultado das urnas, funciona como abalo sísmico: súbito, o que era findou, a estrutura política se encontra alterada e o que será ainda não se firmou (o que só ocorrerá após 1o de janeiro de 2011).

Deveria existir uma psicanálise do poder, à qual Shakespeare e Machado de Assis dariam excelentes contribuições. Talvez exista. Eu é que, em minha sobeja ignorância, não a conheço.

Não é fato que o processo eleitoral tudo desarruma? É um festival de contradições e contrariedades: amigos se tornam inimigos; inimigos viram correligionários; irmãos discutem com irmãos; princípios ideológicos cedem lugar a interesses eleitoreiros; propostas são encobertas por meras promessas; o discurso ético quase nunca coincide com o modo como se financia a campanha...

E ainda há cidadãos que se recusam a votar, têm raiva de políticos, vociferam contra tudo e contra todos, esquecendo o elementar, meu caro Watson: o ódio destrói quem odeia e não quem é odiado. Este nem sequer fica sabendo das repetidas ofensas proferidas ao seu nome.

Terminado o pleito para as funções legislativas, cada candidato tem o direito de se olhar no espelho. Há eleitos que estufam o peito aliviados, sentem o doce beijo de Narciso - nem tanto como belo, e sim como poderoso - e se esquecem de reparar que, no fundo do espelho, há uma multidão de pessoas, seus eleitores, a quem devem a vitória eleitoral e a quem estão obrigados a não decepcionar.

Os derrotados se dedicam ao triste balanço: tanto esforço, tantas viagens e reuniões; tantos apertos de mãos e cafezinhos; e, sobretudo, tanto dinheiro despendido para... nada! Epa, não é bem assim! Para nada não. E o investimento eleitoral a longo prazo? Afinal, mereci uns tantos votinhos, tornei-me conhecido, criei uma potencial base de sustentação política. Claro, esperava mais, julgava-me mais elegível que outros concorrentes... Mas sei que não sou de se jogar fora. Quem sabe nas próximas eleições...

De fato, gastos eleitorais são pesados. Deus meu, quantas dívidas! Alguns candidatos derrotados sofrem de DPE: Depressão Pós-Eleitoral.

Mas não nos enganemos. Uns tantos derrotados fizeram seu pé de meia. É a tal "sobra de campanha". Sobra? Na verdade, quinhão retirado do milhão. Nada como um dinheirinho extra caído do céu. Ou melhor, das mãos do eleitores. Com a vantagem de dispensar prestação de contas ou pagamento de tributos.

Após o bate-boca de quem foram os responsáveis pela derrota (a vitória é quase sempre exclusivamente do candidato), o prêmio de consolo de uns tantos é a tradicional boquinha assegurada por quem foi eleito. Não virei deputado ou senador mas, felizmente, o companheiro ali agora é governador; aquele se elegeu senador; o outro, deputado. Quem sabe me consolam com uma nomeação! O dinheiro não sai mesmo do bolso deles. Vem dos cofres públicos. Se for preciso, até topo assinar receber 5, embolsar 3 e deixar 2 para o companheiro que agora me estende a mão...

Muitos vitoriosos não se aguentam de tanto convencimento. Adeus patrão, adeus relógio de ponto, adeus rotina! Agora é não pisar em falso para não cair do palanque. O que mais importa, desde hoje, é tratar de garantir a reeleição daqui a quatro anos.

Quem foi eleito para o executivo trata de montar sua equipe de governo atento às alianças, aos correligionários bem votados porém não eleitos, às promessas mais repetidas.

Os derrotados amargam a boca de fel. Como aconteceu? Tudo indicava que eu seria eleito. Cadê as pesquisas fajutas, os puxa-sacos, o coro do "já ganhou"? Ganhei foi experiência. E perdi meses dando braçadas, engolindo água para, na hora H , morrer na praia.

E nós, eleitores? Votamos por votar ou estamos dispostos a cobrar duro de quem elegemos? Sim, sei que alguns foram às urnas porque a lei obriga. É o time do voto facultativo. Estou fora! Darei meu apoio a tal bandeira no dia em que pagar imposto também for facultativo. Por que devo sustentar economicamente a máquina do Estado e não decidir quem a ocupa?

Não basta delegar e se sentir representado. É preciso participar: fazer todo tipo de pressão sobre os eleitos, nossos servidores. E reforçar os movimentos sociais, a sociedade civil organizada, para que haja permanente controle social do poder público. Sobretudo, exigir transparência e competência.

Ah, a política...

[Autor de "Cartas da Prisão" (Agir), entre outros livros. www.freibetto.org - twitter@freibetto

Copyright 2010 - FREI BETTO - Não é permitida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor. Assine todos os artigos do escritor e os receberá diretamente em seu e-mail. Contato - MHPAL - Agência Literária (mhpal@terra.com.br)].


Frei Betto é escritor e assessor de movimentos sociais

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Dia da Cultura

05 DE NOVEMBRO

Carta do ministro da Cultura, Juca Ferreira, em homenagem ao Dia da Cultura

Neste Dia da Cultura, celebramos uma agenda em construção

É com enorme alegria que o Ministerio da Cultura felicita hoje o Dia Nacional da Cultura. Celebração que neste momento especial não poderia ser mais simbólica em vista a importância que a pauta conquistou na agenda do país. É o momento de celebrarmos a riqueza da diversidade cultural, a plena liberdade de expressão e comemorar a força da arte brasileira.

A cultura está se tornando, finalmente, um dos campos de ação das políticas públicas no Brasil. O aumento do orçamento cultural em seis vezes, desde 2003, é apenas um dos indicadores desta mudança. Podemos repetir com orgulho a frase do presidente Lula, já célebre: “como nunca na história deste país”. Este governo, como em nenhum outro momento de nosso passado, reconheceu a dimensão estratégica da cultura para um projeto de nação. Esta mudança diz respeito ao projeto de desenvolvimento que o Brasil afirmou nos últimos anos.

Nesse sentido, chamo atenção de todos, artistas, produtores, cidadãos e cidadãs para uma agenda em construção no Congresso Nacional. O legislativo tem sido um inestimável parceiro na construção de bases para uma política cultural de Estado. São importantes projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional: aprovados, eles vão impulsionar a cultura brasileira para um novo patamar de desenvolvimento.

A nova legislação cultural irá criar condições de apoio abrangente e direto a cultura e arte nacional. Se aprovadas, tais medidas vão permitir o aumento significativo dos recursos públicos, garantindo critérios de distribuição republicana e a superação de um modelo precário e burocrático de apoio à cultura. O desenvolvimento cultural só é pleno quando permite a incorporação de muitos, quando ocorre em todas regiões do Brasil, em todos os setores culturais, sem exclusão ou descriminação. Quando qualifica a educação, a saúde, o turismo, a consciência ambiental. As novas leis irão estimular não apenas a produção cultural, mas a ampliação do consumo, criando uma poderosa economia, capaz de gerar empresas culturais fortes e independentes.

Fruto de anos de diálogo e contrução coletiva, as novas leis podem definir um futuro brilhante para a cultura brasileira, e inclusive ser aprovados em 2010 para começar a valer já no ano que vem.
Por tudo isto, o apoio da sociedade é importante. Precisamos aprovar o Vale Cultura, a Nova Lei de Fomento (o Procultura), o Plano Nacional de Cultura, o Sistema Nacional de Cultura, a PEC 150, que garante um patamar seguro de recursos para a cultura nos três níveis federativos.

Não há como negar que a cultura no Brasil ganhou uma relevância nunca igual na sua história e o Estado democrático tem um papel decisivo não apenas no fomento, mas também na defesa da diversidade cultural e na garantia do acesso cultural a todos no Brasil.

Viva a cultura!

Juca Ferreira – Ministro de Estado da Cultura